12 de abr de 2013

Do que desejamos.

(…) Dor, susto, drama e tragédia, a gente nasce sabendo. Saber ser feliz exige décadas para entender e, ao mesmo tempo, pede tão pouco. Muitas vezes, se vive somente para relatar o quanto nossa vida é impressionante, mas lá no fundo persiste uma mágoa desconfiada de não vivermos o que realmente desejamos. O que desejamos não se diz, se arde!
Fabrício Carpinejar

2 comentários:

  1. e arde em silêncio, talvez pq nem sempre as palavras acham o jeito certo de aparecer.

    bjo Lilian
    =)

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)