4 de out de 2011

De porcelana


Sou perigosamente distraído, eu sei. E às vezes me descuido todo. Meu coração, por exemplo, em algum momento deixei ele cair no chão e nem me dei por conta. Na pressa, devo tê-lo ajuntado de qualquer jeito, espanado a poeira um pouco e colocado-o de volta, sem perceber as rachaduras fininhas.
Com as viagens e andanças, os tremores internos e os terremotos pequenos, ele foi se rachando mais e mais. Bem silenciosamente, sem os ruídos que denunciariam as pequenas raízes que se abrindo na porcelana vermelha e dourada. Mansamente ramos se abriam em outros ramos e, sem que eu esperasse, o coração todo me caiu em cacos.
Talvez viesse o desespero, não estivesse eu tão acostumado a quebrar coisas. Botei tudo no lugar, aquele amontoado de lascas e cacos e pedaços que não se encaixam mais. Estou vivendo com isso, com essa confusão de pedaços pontiagudos. Tudo em mim agora dói e emociona e apaixona e alegra e entristece, ao mesmo tempo.
Veja, nesse caco você. Naquele a dor do meu vô. Nesse a loucura de Ághata. No maiorzinho a alegria que me dão maus adolescentes. Naquele outro, de ponta fina, uma solidão. Naquele ao lado um prazer. Esse saudade. aquele desejo. O outro tristeza. Em algum a esperança...
Cacos meus, sem unidade, sem cola que me permita ter um coração inteiro de novo. Ainda assim eu tento. Vou encaixando os pedacinhos, desfazendo meus enganos, desistindo de alguns deles, procurando outros que não devo ter recolhido, moldando peças novas. Tentando, enfim, ter um coração de novo inteiro, como o seu e o de todo mundo.


15 comentários:

  1. "Tudo em mim agora dói e emociona e apaixona e alegra e entristece, ao mesmo tempo."

    Adorei o texto flor.

    http://amar-go.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Belo texto!
    Um coração assim, é preciosidade pura.

    bjo
    lindo dia!

    ResponderExcluir
  3. Aí é que você se engana...nem o "meu", nem o de "todo mundo" é inteiro não...bastou estarmos vivos para compreendermos que a vida é assim mesmo: nascemos com o coração inteirinho, e com os anos ele vai se modifivando mesmo...é natural...só não podemos perder a nossa ternura jamais...

    Corações calejados são corações vividos, são corações corajosos...

    beijos em cada pedacinho de seu coração!

    Bia

    ResponderExcluir
  4. Fluir nessa leitura... amei !
    beijos querida!

    ResponderExcluir
  5. Fantástico...

    Bjito directamente da Lua

    ResponderExcluir
  6. Será que existe de fato alguém que tenha o coração inteiro?

    Lindo texto, como todos os do nosso amigo.

    Abraço, Lilian.

    ResponderExcluir
  7. é assim mesmo. aos poucos que a gente aprende a se "reconstruir".

    beijinhos

    ResponderExcluir
  8. e depois de um amor , nem um coração pode ainda ser inteiro , o amor faz bem , mas quando tem que destruir um coração ele sabe bem como fazer , e não adianta colar , tentar concertar , nada mas pode ser do jeito que já foi um dia ,acredito que inteiro esteja somente a nossa consciência , ou talvez nem ela .

    Beijos , ótimo texto . bom final de semna :)

    ResponderExcluir
  9. *.*
    Em pedacinhos...cada caco cortante uma história,uma causa de teres partido(coração).

    Perfeito demais o post.
    Beijo!

    Renata

    ResponderExcluir
  10. Amei o texto!! tocante! bjss Ana

    ResponderExcluir
  11. Sou apaixonada por ele (o autor)... E como não saber um pouco da gente nesse texto? Fui escorrendo, junto as palavras!

    ResponderExcluir
  12. e sem querer quebraste o seu coração?

    ResponderExcluir
  13. Força..força, nada como um dia após o outro e boas palavras!
    Um beijo querida
    Ju

    ResponderExcluir
  14. Sou de porcelana e daí, se você é de aço! rs
    Um beijo querida!

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)