8 de nov de 2010

....


"Na primeira noite eles se aproimam e roubam uma flor do nosso jardim.E não dizemos nada.Na segunda noite,já não se escondem;pisam as flores,matam nosso cão ,e não dizemos nada.Até que um dia,o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa rouba-nos a luz,e, conhecendo o nosso medo,arranca-nos a voz da garganta.E já não podemos dizer nada".

(Poema intitulado "No caminho com Maiakóvski".O poema é atribuído a Bertold Brecht,mas a autoria é de Eduardo Alves da Costa.)

6 comentários:

  1. pirei com esse texto quando li aos 18 anos...

    na época, pensei que fosse de maiakóvski - alguém me informou errado!.

    ResponderExcluir
  2. faço das palavras de Vanessa as minhas também.

    dá até um nó no meio da garganta.

    ResponderExcluir
  3. È lindona... o negócio e nunca deixar passar a oportunindade... pode ser que ela nunca mais apareça na nossa porta neh???

    Adorei o texto.
    KIsses
    Thaty
    Pedaços do Cotidiano

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)