4 de set de 2010

Ácido,espinho,caco de vidro...

"Verdade, eu tinha qualquer coisa assim como andar de costas, quando todos andam de frente. Qualquer coisa como gritar quando todos calam. Qualquer coisa que ofendia os outros, que não era a mesma deles e fazia com que me olhassem vermelhos, os dentes rasgando as coisas, eu doía neles como se fosse ácido, espinho, caco de vidro.
Caio Fernando Abreu

7 comentários:

  1. quando eu digo que esse Caio sabe "doer"!!!

    ResponderExcluir
  2. tem selinho pra você lá no blog
    Passa lá =)
    beijoos

    ResponderExcluir
  3. .

    Pois que, os fortes sempre doem aos olhos dos mais fracos e esse sabia ser forte e verdadeiro.
    Se fazia doer.

    Hoje ainda nos dói, mas é de saudade.

    Meu amada Caio. Eterno!

    Linda postagem!

    Deixo beijos. Deixo sorrisos.

    .
    .

    ResponderExcluir
  4. Lindo Caio...

    ótima escolha de postagem..

    Um Beijo

    ResponderExcluir
  5. adoro as palavras farpadas de Caio. mesmo quando doem, faz bem.

    ResponderExcluir
  6. que trecho mais lindo, adorei o blog,
    beijão!

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)