30 de mai de 2011

Quero a fome



A mim que desde a infância venho vindo,
como se o meu destino,
fosse o exato destino de uma estrela,
apelam incríveis coisas:
pintar as unhas, descobrir a nuca,
piscar os olhos, beber.
Tomo o nome de Deus num vão.
Descobri que a seu tempo
vão me chorar e esquecer.
Vinte anos mais vinte é o que tenho,
mulher ocidental que se fosse homem,
amaria chamar-se Fliud Jonathan.
Neste exato momento do dia vinte de julho,
de mil novecentos e setenta e seis,
o céu é bruma, está frio, estou feia,
acabo de receber um beijo pelo correio.
Quarenta anos: não quero faca nem queijo.
Quero a fome.

Adélia Prado

11 comentários:

  1. Outro dia vi um video de Adélia Prado. Achei o máximo.

    Linda semana!
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Esse eu não conhecia. É a idade que acabei de fazer: quarenta anos!

    ResponderExcluir
  3. Quero fome de AMAR!!!
    AdorO, quandO vem me visitar.
    BjO.

    ResponderExcluir
  4. Rensga...!!!
    Bom pra gente pensar...eu que vivo com sede e fome de vida vou aproveitar mais minha sequidão e fome.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  5. Renata disse:
    Depois de tanto tempo,ela já não precisa de algo que veio atrasado demais.

    *BeijO*

    ResponderExcluir
  6. Ainda nao conhecia Adelia... vou pesquisar um pouco... mas o q falaram eh verdade... bom pra pensar...

    ResponderExcluir
  7. Olá, estou repassando para os seguidores do blog *E Ai!? Vai Ficar Nessa!?! o novo endereço, ele mudou de nome e casa!
    Agora é, *Entre Lã & Off!
    http://entrelaeoff.blogspot.com/

    Abç!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Lilian! Obrigada pela "visitinha" no meu Blog!

    Nossa esse texto da Adélia Prado é tão lindo! Eu também quero fome de liberdade e tantas outras coisas!

    Namastê**

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)