6 de abr de 2011

Silêncio.



"(...) eu devia me expor a você, sem reticências, sem jogos... mas ao mesmo tempo eu tinha medo de me dissolver, de me perder, de não ser mais eu, mas apenas um ser apaixonado... e tinha principalmente vergonha da minha ansiedade, da minha carência... se eu as exibisse a você, talvez você se assustasse e fugisse... e então eu ocultava os meus excessos, me mostrava distante, forte, blasée... e o que acabava mostrando era um arremedo de envolvimento, mesmo sabendo que isso nos fazia mal... eu odiava a dependência, a sujeição, a espera contínua por uma palavra, um gesto... era como se você fosse Deus e estivesse em suas mãos decidir a minha felicidade ou a minha desgraça... como suportar o fato de estar inteiramente subjugada a você? Como suportar teus atrasos, tua ausência... como ficar à espera e olhar para o relógio e sentir o tempo passar e construir mil histórias sobre o atraso... primeiro te desculpando, depois te acusando e prometendo a mim mesma fazer um escândalo quando você chegasse... e quando você chegava, eu ficava tão perturbada, tão feliz, tão grata, que esquecia completamente a raiva e a humilhação da espera... fico pensando no tempo em que desperdicei tentando dissimular. mascarar minha incontrolável dependência de você... durante meses ocultei minha loucura, me contive, sufoquei, fui civilizada... civilizada na minha fúria, civilizada na minha dor, civilizada em momentos que não devia ser..."


Maria Adelaide Amaral-Teatro Completo 


Heróis da Resistência-Silêncio

7 comentários:

  1. Só que silenciar quem é vc nunca é bom.
    Viver de máscara.
    Bom tema.
    Abraço Cynthia.

    ResponderExcluir
  2. Maria Adelaide Amaral é sempre perfeita em teus textos... esse, em especial é um deles que acho maravilhoso!

    fazemos tantas coisas bobas em nome do amor né...e uma delas é perder tempo!

    Adorei o post, Lilian!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Mal-estar na civilização, diria Freud.
    Abrimos mãos de boa parte dos nossos impulsos para nos tornarmos suportáveis.

    Ah, como isso me custa caro!

    ResponderExcluir
  4. Renata disse:
    Eu ando me esquivando tanto,já omiti tantos sentimentos...
    Meu silêncio civilizado e aparente para não assustá-lo me custa tanto,e como doi!

    Tão incrível Maria Adelaide,hein?Tão vc...percebe-se isso no cabeçalho do blog,muito lindo também:"Esta realidade já,já,vai virar abóbora.É quase meia-noite e eu preciso voar."

    *Bjs Lilian! Muito bom seu carinho,sempre me sinto bem acompanhada com vc e com suas palavras.

    :)

    ResponderExcluir
  5. Oi (: Tem selinho para você, lá no blog!

    http://joycenoelly.blogspot.com/2011/04/100-seguidores.html

    Espero que goste ;)
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Ainda ontem eu estava pensando coisas parecidas com essas.
    Não conhecia esse texto. Amei!

    Um beijo!!!

    ResponderExcluir
  7. Aff! Coisa mais chata ser civilizada!
    Beijocas.

    http://raquellribeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)