29 de jan de 2011

A mulher destecelã


Eu tive que desfazer depressa, descosturar tudo antes que você chegasse. Eu desfiei as noites em que você me abraçaria e me aqueceria, enrolando seus sonhos nos meus cabelos. Noites embaixo de árvores, folhas secas no chão, carinhos lentos, risos baixos, vida completa. Eu desbordei uma tapeçaria de segredos. A cumplicidade que teria com você, as nossas mãos se tocando como que ao acaso. Eu precisei desmanchar meus carinhos no seu rosto, antes que você os visse. Eu, depressa, descosi os sorrisos que daria, os bilhetes que enfiaria nos seus cadernos, os telefonemas que daria escondida. Eu precisei desmanchar, pétala por pétala, qualquer margarida roubada que eu pudesse lhe dar. Bem rápido eu puxei os fios, cortei com tesoura, rasguei com os dentes, antes que você pudesse chegar e ver tudo que eu já havia tecido para nós. Fios rompidos no chão, enovelados, enosados, sobras coloridas do que não poderá mais ser. Deu tempo. Quando você chegar verá destroços meus no chão. Não verá nossas noites, nossos carinhos, nossas mãos dadas à esmo. Verá só a confusão de fios e panos. Talvez pergunte o que é. Talvez nem se importe. E eu não vou dizer nada. Não vou me importar também. Mas ao sair, ao sair ainda vou olhar para a lã vermelha, toda arrebentada, e vou saber. Só eu vou saber. Aquilo ali já foi o meu coração. E eu havia bordado para dar a você. Mas você não quis."

___________
Texto caído de uma das poeirentas cartas de Clarissa.


(V. Linné)

10 comentários:

  1. amei...lindo!!!
    transborda sentimentos
    bejuxus linda

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo!!! Muitas vezes dedicamos nosso tempo que é muitíssimo precioso para alguém e este alguém pouco se importa! É a vida...
    Injusta
    Ou justa de forma misteriosa.

    Saudade daqui!!

    Um beijo =*

    ResponderExcluir
  3. Nossa... Essa foi uma das coisas mais lindas que eu já li. Estou até salvando essa postagem nos meus favoritos. Parece que foi feita pra mim... rs

    Parabens pelas lindas palavras.

    ResponderExcluir
  4. São os bordados da vida...


    Bjito directamente da Lua

    ResponderExcluir
  5. "Eu, depressa, descosi os sorrisos que daria, os bilhetes que enfiaria nos seus cadernos" aiin *-*

    ResponderExcluir
  6. (Des)tecer é triste.

    http://vemcaluisa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. PeAchei que extrema delicadeza, mais um pouco triste tb.

    Grande beijo
    Thaty
    Pedaços do Cotidiano

    ResponderExcluir
  8. Triste também é decidir destecer. Destruir aos poucos - e quase sem perceber - o que era importante para alguém. E ao ver as sobras no chão, não sentir nem alegria, nem tristeza.

    Beijos, meus dois queridos.

    ResponderExcluir
  9. Bordados têm sempre dois lados. O bonito, para mostrar e o feio, para esconder. Como nós.

    ResponderExcluir
  10. Adoro aparecer aqui, entre as porcelanas e livros dessa estante.

    Obrigado pelo texto meu. Fez mais sucesso que lá na casa dele. hhehehehe.

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)