2 de dez de 2010

maldita flor

a vida um caos,e ela ali achando que aquele vaso com flor amarela,no canto do quarto,perto da janela,amenizava seus problemas.olhava pra ela e acreditava que o pequeno objeto trazia sossego no meio de todo aquele inferno.revistas empilhadas,discos desarrumados.dois livros lidos pela metade e abandonados quase no mesmo canto.meia xícara de café gelado em 48 horas.camisetas pretas pra dobrar,jeans pra guardar.preguiça.naquele dia percebeu que tinha tudo e não era feliz.guardou a auto-estima dentro do armário,trancou e foi dormir chorando.acordou com os olhos inchados.procurou a chave do armário entre as coisas desarrumadas.entre as coisas empilhadas.entre aquele caos que refletia sentimentos.não havia mais chave.sentada no canto do quarto,com o pequeno vaso no colo,arrancou pétala por pétala da pequena flor amarela.presente.de olhos fechados,cabelos despenteados,teve força apenas para gritar com a cabeça pra fora da janela,berrar perguntando para a cidade cinza, já amanhecida:
Por que só mal me quer naquela maldita flor?

Eduardo Baszczyn

5 comentários:

  1. Quem sabe uma outra flor há de contar uma nova verdade!?

    Mto lindo aqui!

    bj
    .
    LiZZa

    ResponderExcluir
  2. Li,vc reformou o botecooooo =D
    Quero fazer parte da tua estante,do teu instante.Sempre.

    Te amo muito!

    ResponderExcluir
  3. Será que a flor era de vaso ou de terra?
    há de se colher uma nova flor pro teu sorriso.

    Um Beijo, querida Lilian!

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)