3 de ago de 2010

(...)se odiado e com tanta ternura


"Ambos eram conscientes de ter tão poucas coisas em comum que nunca sentiam-se mais sozinhos que quando estavam juntos, mas nenhum dos dois havia se atrevido a magoar os encantos do hábito. Precisaram de uma comoção nacional para perceber, ao mesmo tempo, o quanto haviam se odiado, e com quanta ternura, durante tantos anos."

Gabriel Garcia Márquez

5 comentários:

  1. Waw! De qual livro? Memória de Minhas Putas Tristes?

    ResponderExcluir
  2. Que lindo isso, acho que acontece tanto por aí.

    Vim matar a saudade. :)

    Beijão, querida Lilian.

    ResponderExcluir
  3. Nossa... que passagem intrigante. Penso que como tudo que diz respeito a sentimentos humanos.

    ResponderExcluir
  4. Nossa...que lindo!

    Parece que todo mundo já viveu alguma coisa assim...

    Adorei!

    bjo!

    Zil

    ResponderExcluir
  5. Quem é não odiou com ternura? Acontece pelo menos uma vez na vida...


    Bjito directamente da Lua

    ResponderExcluir

Agradecemos a preferência.Volte sempre ! :)